28 de maio de 2008

14 - The Road.

A partir daqui, as coisas complicam-se sobremaneira. A dificuldade em comparar curiosidades exacerbadas aumenta, e já não é tão fácil identificar se queremos mais ver este filme, do que o anterior. Na segunda metade destes trinta que temos vindo a apresentar, estão mesmo os catorze mais antecipados do ano. Obras que, pela gente envolvida, ou pelas obras em que se baseiam, ou pelos elogios que já se fizeram ouvir, ou ainda, por tudo isto, devemos procurar seguir com atenção.

The Road é um destes casos. Baseado na obra vencedora de um Pulitzer de Cormac McCarthy, o mesmo de No Country For Old Man, e realizado por John Hillcoat (The Proposition, 2005), este é um filme sobre um homem que procura conduzir o filho a um local seguro, num cenário pós-apocalíptico. A paisagem coberta por cinzas mostra uma terra queimada. Sob o céu sombrio, o vento sopra ininterruptamente. Faz frio, e a neve que cai é cinzenta. Os dois caminham para a costa dos Estados Unidos, embora não saibam o que os espera por lá. Não têm nada, excepto uma faca para protecção e a roupa no corpo.

No elenco encontramos os nomes de Viggo Mortensen (o pai), Charlize Theron (a mulher), Robert Duvall (o velho), Guy Pearce (o veterano), e Kodi Smit-McPhee (o filho). Num primeiro momento, dá vontade de dizer que este bem pode ser o Children of Men deste ano. Uma história que não vai muito de encontro aos padrões da Academia, mas que pode surpreender os mais cépticos e mostrar que hoje os Oscares estão receptivos a outras propostas. Também, para isso, é preciso que o filme confirme as expectativas. Para já, é bom sinal ver ali Viggo Mortensen. O actor parecia ter feito um compromisso de participar apenas num filme por ano. Desde 1999 que assim era. Este ano entra em três. A par de Apaaloosa, este é aquele em depositamos mais esperanças. A rodagem terminou recentemente, e ainda não existe trailer. Existem sim imagens, como estas publicadas na Entertainment Weekly. Nos Estados Unidos, a estreia está marcada para finais de Novembro.

2 comentários:

Canochinha disse...

O livro é maravilhoso e estou com muita curiosidade em ver o que vão fazer do filme, ainda por cima com um dos meus actores preferidos, o Viggo Mortensen. Tendo em conta a personagem do livro e as suas qualidades, posso dizer que é a escolha perfeita.

Brown-eyed Girl disse...

Acabei de ler um artigo sobre o filme e estava mesmo a pensar se não ias falar sobre ele.
Chego aqui e cá está!
Nunca me falhas, Alvy.